Amador ...que ou o que ama ...que ou quem se dedica a uma arte ou um ofício por gosto ou curiosidade, não profissional ...que ou aquele que ainda não domina a actividade a que se dedicou, revelando-se inábil, incompetente
Sexta-feira, 29 de Abril de 2005
Pablo Neruda

Se não puderes ser um pinheiro, no topo da colina,
sê um arbusto no vale, mas sê
o melhor arbusto à margem do regato.
Sê um ramo, se não puderes ser uma árvore.
Se não puderes ser um ramo, sê um pouco de relva
e dá alegria a algum caminho.

Se não puderes ser uma estrada,
sê apenas uma senda,
se não puderes ser o Sol, sê uma estrela.
Não é pelo tamanho que terás êxito ou fracasso...
mas sê o melhor no que quer que sejas.


publicado por Filipe às 17:10
link do post | comentar | favorito
|

Terça-feira, 26 de Abril de 2005
Jujube
Nome comum : Jujube; acofeifa-maior ; açufeira,  anafega ou maçã de anafa.
Nome cientifico: Ziziphus jujuba (L) Lam. (1879) ;Ziziphus zizyphus (L.) Meikle Ziziphus zizyphus (L.) Karst. (??????)
Família: Rhamnaceae
Origem: China
Utilização: Frutífera
Fotos: Propria
Jujube.jpg E

Famílias:

publicado por Filipe às 21:46
link do post | comentar | ver comentários (8) | favorito
|

Segunda-feira, 11 de Abril de 2005
José Gil
...O que é bom e mau para o homem?
E se o descentramento do homem no Universo representasse um bem? Não foi Lévi-Stauss que afirmou que uma das desgraças maiores - do ponto de vista de uma ecologia de espírito - que as sociedades não primitivas trouxeram ao homem foi o de o situar no centro do Universo? E de, assim, desvalorizar a natureza e os outros seres vivos, arrancando-lhes o homem para o colocar num lugar de eleição? Uma boa crítica descentralizadora do discurso humanista não traria afinal benefícios ao homem?...

José Gil, "Portugal hoje: O medo de existir" Ed. Relógio de Água, Nov. 2004
(Um livro que recomendo)


publicado por Filipe às 21:34
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
|

Sábado, 9 de Abril de 2005
Azereiro
portugallaural_latemay.jpg Esta árvore (ou arbusto?), Prunus lusitanica L. subsp. lusitanica., encontra-se na lista vermelha da IUCN (http://www.redlist.org/info/introduction.html), sendo considerada em perigo de extinção. Poucos se vêm em Portugal, embora seja uma árvore nativa, aparecendo muito menos do que merece em jardins e em parques. Também espalha o nome de Portugal por este mundo fora, em francês, Laurier du Portugal, em inglês, Portugal laurel. A associação ao nome de louro, penso que tem a ver com a folhagem persistente e o tipo de brilho semelhante ao do loureiro. Pouco conhecida em Portugal, pouco se vê nos viveiristas mas usada como ornamental pelo mundo fora. Antigamente era usada como cavalo para o enxerto de garfo em espécies do género prunus. O fruto é considerado comestível, mas só quando está completamente maduro. É muito apreciada pelos pássaros. Embora as suas congéneres do género prunus sejam de folha caduca esta espécie é de folha persistente. Tem um parente próximo que também se encontra na Red list da IUCN, o azereiro dos Açores, Prunus lusitanica L. subsp. azorica (Mouillef.)

Famílias:

publicado por Filipe às 21:23
link do post | comentar | ver comentários (5) | favorito
|

mais sobre mim
pesquisar
 
Junho 2006
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9
10

11
12
13
14
15
17

18
19
20
21
22
23
24

25
26
28


posts recentes

Papoila da califórnia

Couve rábano

Brincos de princesa

Amoreira branca

Remodulação

Alteração

Linaria Ricardoi

Goiaba

Zambujeiro

Camarinhas

arquivos

Junho 2006

Maio 2006

Março 2006

Setembro 2005

Julho 2005

Junho 2005

Maio 2005

Abril 2005

Março 2005

Fevereiro 2005

Famílias

agavaceae

annonaceae

bombaceae

cruciferae

empetraceae

moraceae

myrtaceae

oleaceae

onagraceae

papaveraceae

rhamnaceae

rosaceae

rutaceae

scrophulariacea

solanaceae

umbeliferae

todas as tags

links
Fazer olhinhos
blogs SAPO
subscrever feeds