Amador ...que ou o que ama ...que ou quem se dedica a uma arte ou um ofício por gosto ou curiosidade, não profissional ...que ou aquele que ainda não domina a actividade a que se dedicou, revelando-se inábil, incompetente
Terça-feira, 29 de Março de 2005
Eugenia myrtifolia
Eugenia myrtifolia1.JPG Este post seguindo a referência à pitangueira (Eugenia uniflora) e outras eugenias feita no Dias com árvores. Esta Eugenia da família da mirtaceae, é originária da Nova Zelândia. O nome vulgar é mirtilo vermelho. O arbusto da fotografia foi comprado pequeno num viveirista, é uma planta que agora aparece facilmente. Aguenta muito bem o Inverno e para grande espanto meu até o vento. O fruto é comestível embora com uma textura esponjosa e com um sabor esquesito. É usado na origem para fazer compotas e doces. O melro (turdus merula), aprecia bastante os frutos, não se importando com a origem.

Famílias:

publicado por Filipe às 20:22
link do post | comentar | ver comentários (4) | favorito
|

Quarta-feira, 23 de Março de 2005
Tentativa de um conto - Parte 1
Era uma vez uma árvore, nascida entre ervas altas. Como todas as árvores teve uma primeira idade de observação e contemplação. Este ritual inseria-se num saber milenar que ditava que antes de comunicar se deve apreender, inserindo-se no meio, mesmo fixa num ponto, existe todo um universo em que a linha do horizonte se fecha numa circunferência: Existia também uma outra razão, era necessário processar toda a carga genética herdada e através dela dialogar com os antepassados numa aprendizagem única transportada desde a criação da espécie.
Assim a árvore só estava pronta a comunicar num estágio em que a sua formação física se encontra praticamente definida.
E chegou o dia, perto dela encontrava-se outra árvore com porte em todo semelhante, mas que ao mesmo tempo lhe parecia completamente desconhecida, numa primeira fase pensou tratar-se duma irmã, mas já tinha chegado à conclusão que não o era.
- Olá
- Finalmente, estava ansiosa por conversar.
Realmente não havia mais nenhuma árvore por perto, somente um velho tronco com umas folhas muito débeis a assinalar o seu fim, mas ansiosa? O que seria ansiosa?
- Pareceremos quase irmãs, mas ao mesmo tempo pareces-me estranha, donde vens?
- Não somos irmãs, tu és e uma espécie antiquada, gasta ao longo dos séculos, multiplicada por pássaros e borboletas. Eu não, sou uma nova espécie, nasci das mãos do homem, alterou-me o código genético para resistir à colonização desses insectos desprezíveis que se amontoam em cima nós. Sou o que se chama um produto de alta tecnologia concebido e criado para que o meu criador disponha do tempo a seu favor e eu resista sem mais cuidados seus…


publicado por Filipe às 21:36
link do post | comentar | favorito
|

Terça-feira, 22 de Março de 2005
Andorinhas
Já começou oficialmente a Primavera, ainda não vi nenhuma andorinha, e na minha zona elas costumam chegar bem mais cedo. Já as tenho visto até em Fevereiro.

Alguém já as viu?


publicado por Filipe às 18:56
link do post | comentar | ver comentários (3) | favorito
|

Sexta-feira, 18 de Março de 2005
Mau tempo
Passei o dia a ouvir falar do bom tempo que está. Ironia? Hiprocrisia? Desconhecimento ?

Viva a cidade, os alimentos vêm todos do supermercado!

Hoje, ontem, este Inverno tem estado mau tempo.Muito mau tempo.


publicado por Filipe às 19:55
link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito
|

"A Natureza está estranha..."
e não sei porquê."

Joaquim Correia, DN, 18/03/05


publicado por Filipe às 14:07
link do post | comentar | favorito
|

Quarta-feira, 16 de Março de 2005
A árvore como monumento
A árvore como monumento

“…As árvores e os maciços arbóreos classificados de interesse público constituem um património de elevadíssimo valor ecológico, paisagístico, cultural e histórico, em grande medida desconhecida da população portuguesa.
Quantos portugueses sabem que no seu país se encontra a árvore mais alta de toda a Europa? Quantos tavirenses conhecem a vetusta oliveira de Pedras de El Rei, cuja idade foi medida em mais de 2000 anos, sendo portanto anterior à era cristã? Imaginam os lisboetas que se cruzam diariamente com dezenas de árvores notáveis que testemunharam acontecimentos decisivos da história de Portugal?
No entanto, já desde o século XIX que silvicultores e naturalistas apelam à protecção de “arvores colossais”, que representariam o remanescente da antiga cobertura indígena e anteviam o prodigioso desenvolvimento de outras espécies exóticas recém introduzidas, cujo rápido crescimento certamente as levaria a suplantar em dimensão o arvoredo autóctone…”

bela sombra.jpg
Bela-sombra (Phytolacca dioica L.), árvore jovem de dimensões já excepcionais, no bairro da Fábrica de Porcelanas da Vista Alegre (Ílhavo)


carvalho alvarinho.jpg
Carvalho-alvarinho (Quercus robur L.), do Jardim Municipal de Paços de Ferreira.

pinheiro serpente.jpg
Pinheiro-bravo (Pinus pinaster Ait.), da Mata Nacional de Leiria (São Pedro de Moel, Marinha Grande). Estas árvores, retorcidas pelo efeito dos ventos dominantes, são vulgarmente designadas por “pinheiros-serpente”.

Eucalyptus diversicolor.jpg
Eucalyptus diversicolor Müller (karri), na Mata Nacional de Vale de Canas (Coimbra), plantado no final do séc. XIX. Com 75m de altura e mais de 30 metros de tronco limpo de ramos, é a mais alta árvore da Europa.

João Rocha Pinho –Brochura da Direcção Geral das Florestas


publicado por Filipe às 14:38
link do post | comentar | favorito
|

Terça-feira, 15 de Março de 2005
Árvores 1
Árvores são os maiores organismos vivos da Terra. A Torre de Pisa e o Big Bem seriam obras anãs perto das espécies mais altas. A árvore tropical mais alta é a Araucaria hunsteinii (fotografia de www.forestlight.co.uk/) que cresce na Nova Guiné (89m).
Araucaria hunsteinii.jpeg

Uma das maiores árvores do mundo (Ficus benghalensis, imagem de: www.hear.org) é encontrada no Jardim Botânico de Calcutá na Índia; plantada em 1782 a árvore cobre uma área de 1,2 ha e dá sombra para mais de 20 mil pessoas, tem 1775 troncos (raízes colunares) e um diâmetro médio de 131m.
ficus_benghalensis.jpeg

Em termos de volume, o maior organismo vivo do mundo é uma sequóia (Sequoiadendron giganteum – imagem de botit.botany.wisc.edu) da Califórnia com diâmetro de 17,6m, altura de 95m e com peso estimado de 1200 toneladas;
Sequoiadendron giganteum.jpeg

já a Sequoia sempervivens (imagem de : www.randall.k12.wi.us/), medindo 112,2m, em 1996, é considerada a árvore mais alta do mundo (14m mais alta do que a torre do Big Bem).
Sequoia sempervivens.jpeg

A árvore mais grossa do mundo é a Montezuna cypress (Taxodium mucronatum, imagem de www.acapixus.dk/) perto de Oaxaca no México.
Taxodium mucronatum.jpeg

A árvore mais alta já registrada era um exemplar de Eucalyptus regnans ( imagem de : www.angelfire.com), medido em 1872 em Vitória na Austrália, com 132,6m.
Eucalyptus regnans.jpeg
Fontes: As fotografias não correspodem às árvores descritas no texto, as fontes estão indicadas.
Trees: An Illustrated Identifier and Encyclopedia. Russell, Tony and Cutler, Catherine.
London, 2003.


publicado por Filipe às 15:22
link do post | comentar | favorito
|

Quinta-feira, 10 de Março de 2005
Granadilha
No anterior post só tinha fotografia da flor do maracujá banana, e deste só tenho a do fruto e da planta.
A granadilha, outra espécie de maracujá, (Passiflora linguaris, Juss) que aparece frequentemente à venda nas bancas das frutas tropicais, embora seja um fruto subtropical, a fruto da foto foi adquirido aí, e a planta nasceu por sementes, ainda não produziu flores, embora mais sensível que o maracujá banana aguenta bem o Inverno.
Em termos de qualidade de fruto, este para mim é o mais saboroso dos maracujás, podendo-se comer ao natural



Passiflora Ligularis6b.jpg

Em termos de qualidade de fruto, este para mim é o mais saboroso dos maracujás, podendo-se comer ao natural

Passiflora Ligularis7b.jpg


publicado por Filipe às 15:54
link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito
|

Quarta-feira, 9 de Março de 2005
Maracujá banana
Passiflora mollissima222.JPG

O Maracujá banana (Passiflora mollissima, (Kunth) Bailey) é originário das zonas de altitude da Venezuela à Bolívia, podendo aparecer a altitudes de 3000 a 4000 m nas regiões andinas em condições ecológicas que outras espécies não têm condições de sobreviver.
O que aparece na fotografia descende duma linhagem da ilha da Madeira, onde comprei o fruto no mercado do Funchal, deu-se muito bem e chega a produzir flor no Inverno quando este é muito húmido. O sabor, próximo do maracujá roxo (Passiflora edulis), é também muito concentrado no fruto, sabendo melhor o sumo diluído em água.
É uma trepadeira que cresce muito depressa, como a maioria dos maracujás tem um tempo de vida curto, 5 a 7 anos. Vale normalmente a grande quantidade de frutos que produz.


publicado por Filipe às 13:39
link do post | comentar | ver comentários (10) | favorito
|

Terça-feira, 8 de Março de 2005
O elogio da Natureza (sic)


A natureza, segundo David W.Griffith( cineasta, 1875-1948), é a que nasce, não de qualquer evidência automática, mas de uma verdade que tem tanto de transparente como de insondável – a natureza é, em Griffith, a manifestação do humano como mistério sempre em aberto.

João Lopes, DN, 5/3/05


publicado por Filipe às 21:36
link do post | comentar | favorito
|

mais sobre mim
pesquisar
 
Junho 2006
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9
10

11
12
13
14
15
17

18
19
20
21
22
23
24

25
26
28


posts recentes

Papoila da califórnia

Couve rábano

Brincos de princesa

Amoreira branca

Remodulação

Alteração

Linaria Ricardoi

Goiaba

Zambujeiro

Camarinhas

arquivos

Junho 2006

Maio 2006

Março 2006

Setembro 2005

Julho 2005

Junho 2005

Maio 2005

Abril 2005

Março 2005

Fevereiro 2005

Famílias

agavaceae

annonaceae

bombaceae

cruciferae

empetraceae

moraceae

myrtaceae

oleaceae

onagraceae

papaveraceae

rhamnaceae

rosaceae

rutaceae

scrophulariacea

solanaceae

umbeliferae

todas as tags

links
Fazer olhinhos
blogs SAPO
subscrever feeds